Quinta-feira, 24 de Maio de 2007

Alterar a Política Desportiva

A fase em que tudo foi permitido já não cabe na lógica dos tempos que vivemos e dos desafios com que somos confrontados.
Se os responsáveis pelo Desporto na Câmara Municipal de Penafiel afirmam como um dos seus objectivos prioritários “mais e melhor desporto”, deveriam ter uma noção clara sobre os problemas que o desenvolvimento desportivo encerra, doutro modo, afirmações deste tipo não passam de simples slogans vazios de sentido e de conteúdo.
Entretanto, os responsáveis políticos supõem que o livre desenvolvimento do associativismo desportivo a par de financiamentos atribuídos sem critérios de objectividade, são suficientes para responder às necessidades do desenvolvimento do desporto.
Exceptuando as questões ligadas ao futebol profissional e mais recentemente ao “futebol a sentir Penafiel” , é difícil enumerar duas ou três ideias políticas que tenham animado a vida desportiva do concelho.
Ora, é precisamente este indicador anestesiante sobre a nossa realidade desportiva, que melhor evidencia a pobreza dos actos políticos dos actuais responsáveis na Câmara Municipal de Penafiel.
Para além de tudo isto, são criadas falsas expectativas pois na maioria das vezes não estão garantidos os meios materiais e humanos necessários.
Veja-se a título de exemplo, o que se passa com as famigeradas obras no pavilhão gimnodesportivo “Fernanda Ribeiro”: São autênticas “obras de Stª Engrácia”, traduzidas num conjunto de decisões indecisas que a nada têm conduzido. E já se passaram quase seis meses após a derrocada da cobertura!
De facto as mudanças operadas no sector do desporto estão longe de ter atingido os objectivos enunciados continuando a privilegiar-se uma gestão lenta, pouco criativa e sem liderança.
Sabemos todavia, que as maiores dificuldades surgem devido a conflitos e interesses de natureza pessoal, com a sobreposição de atibuições e competências em diferentes unidades orgânicas;
-         quer a nível da própria Câmara Municipal de Penafiel, do Pelouro do Desporto, do Sector do Desporto ou da recente Penafiel Activa (ex Profidelis);
-         quer de dirigentes desportivos, assessores, conselheiros, técnicos e técnicozinhos.
 
Passados que estão quase dois anos sobre as eleições autárquicas, era já tempo de demonstrar que os anúncios dos programas e dos investimentos para o desporto não foram apenas peças de propaganda.
O que agora importa não é tanto discutir as pessoas, mas conhecer as suas ideias, os seus argumentos, os seus programas e as suas acções.
É saber o que pensam sobre o desenvolvimento do Desporto em Penafiel.
O grande desafio que se coloca aos responsáveis pelo desporto nos próximos dois anos é, a necessidade de abandonar a sacralização do imediatismo, a política de curto prazo, da urgência e do subsídio que instalou um verdadeiro ciclo vicioso: quanto mais esta política prevalece mais problemas vão ficando por resolver; quantos mais ficam por resolver, maior é a pressão para que sejam resolvidos rapidamente.
É esta dramática espiral que tem de ser contida.
Alterando a política.
Que a Câmara Municipal de Penafiel tem trabalhado certamente que o tem, não se percebe contudo em quê!
sinto-me:
publicado por PenaSport às 00:00
link do post | favorito
Domingo, 6 de Maio de 2007

Ser Dirigente no Desporto

Em nós despertou a curiosidade de saber como e porquê se escolhe ser dirigente no desporto.
O dirigente desportivo, todo o dirigente desportivo, é um eleito. Pelo menos assim deveria ser, na maioria das vezes assim sucederá.
Contudo o modo de recrutamento é muito diferente.
Há para todos os gostos. Basta que para tanto atentemos naquilo que se passa em certas associações e clubes desportivos existentes no concelho de Penafiel.
  • Existem associações ou clubes desportivos cujos dirigentes consideram que estes são uma espécie de feudo pessoal, que se estrutura na base de um sistema de auto-reprodução do poder;
  • Vêem-se dirigentes desportivos “feitos à pressa” com uma visão dos problemas do desporto que roça por vezes, os limites do ridículo;
  • Outros há que são autênticos mercenários, que é essa nova “clique” de técnicos, cuja formação científica e técnica deixa muito a desejar e se dúvidas houvesse, os resultados estão bem à vista de todos;
  • Existem depois aqueles que fazem uma espécie de "ocupação selvagem" dos lugares de direcção.
Este é um curioso efeito perverso da ditadura no passado que criou uma ausência, um vazio político e um sector desportivo que rapidamente aprendeu a viver na sombra do subsídio oficial.
Ao longo do tempo, contudo, temos encontrado algumas pistas que nos permitem entender melhor os dirigentes desportivos naquilo que vemos, lemos ou ouvimos.
·        Ouve-se amiúde, que ser dirigente é assumir a responsabilidade de uma direcção. 
Efectivamente um dirigente tem responsabilidades de direcção, mas é também um organizador, um companheiro, um administrador e muitas vezes legislador e regulamentador.
·        Vemos casos em que os dirigentes desportivos têm de dispor de tempo, influências e até de dinheiro.
Sendo uma franja pequena é naturalmente muito influente, já que goza de privilégios que a generalidade dos restantes dirigentes desportivos não possui.
·        Noutros casos o exercício da função requer ao dirigente desportivo, apego aos princípios do associativismo, capacidade de trabalho, espírito e dedicação à causa do desporto.
Estes são os dirigentes que se entregam a uma vida associativa cheia de obstáculos e tantas vezes incompreendida.
·        Lemos noutro sítio que o dirigente desportivo é ao mesmo tempo uma espécie de deputado.
Esta concepção ajusta-se muito bem a alguns casos do dirigismo do desporto no concelho de Penafiel onde existem dirigentes a viver numa espécie de frenesim jubilatório, que pensam que os seus clubes vivem sempre em festa e onde qualquer opinião dissonante é desde logo classificada como fatalista.
Para nós, o dirigente desportivo é antes de mais a grande roda motriz da engrenagem da sua organização: o clube desportivo.
E falar de clubes desportivos é abordar realidades complexas, com problemas vários e muito distintos.
Mas raro foi, ao longo de muitos anos, ouvirmos aos dirigentes desportivos no concelho o que pensam sobre os problemas do Desporto em Penafiel
Os dirigentes desportivos deveriam questionar-se se estão honesta e lealmente dispostos a dedicar anos da sua vida a fazer esforços incansáveis para satisfazer as necessidades de educação e do carácter da juventude.
O Desporto em Penafiel está perante desafios em que é preciso ter coragem de ter razão onde é mais difícil tê-la: no médio e no longo prazo!

Sob pena de se assim não suceder nos limitarmos a correr não para o futuro, mas atrás dele!

sinto-me:
publicado por PenaSport às 00:00
link do post | favorito

.mais sobre mim

.Novembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.links

.posts recentes

. Estratégias de desenvolvi...

. Miragem e Ilusão

. Moderação e realismo

. Problemas d(n)o nosso Des...

. Problemas d(n)o nosso Des...

. A Higiene da Moral

. Falar Claro sobre o Despo...

. Falar Claro sobre o Despo...

. 1ª Gala – ALBARDÃO (mérit...

. Sinal dos Tempos

.arquivos

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

.pesquisar

 

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds